Conversão, caminho para o grande Encontro

“Não se pode exprimir com palavras a passagem do estado humano ao divino” (Dante Alighieri)

A graça é a manifestação da bondade de Deus a favor dos homens. É o encontro do ser humano com o absoluto. Conhecer o que é esse encontro é o primeiro passo que toda pessoa deve dar para a conquista de uma vida plena, entendendo o que é este encontro e como realizá-lo, todas as outras coisas vêm por acréscimo. A graça é a permissão que Deus da para que este encontro aconteça. É a sua benevolência para com os homens, a sua ação para conceder a todos a salvação. Vivendo na graça o homem vive a vida nova, que só Deus pode proporcionar. Para viver na graça o homem passa pelo processo da conversão. Conversão é mudança de vida, o homem deixa de ser o que está sendo para se tornar uma criatura melhor

Nunca se finda, pois a condição humana é incompleta, assim fica claro que a conversão é contínua, pois somente na presença do Autor da vida que o homem se completa, enquanto isso, ele caminha na direção da voz de Deus em seu interior o chamando para buscar sempre a plenitude.

A graça é oferecida por Deus, infelizmente o homem nunca consegue responder de forma plena a este oferecimento. Sempre é possível o ser humano encontrar acolhida em Deus, pois a graça é sempre maior que o pecado. A conversão é uma tentativa constante de deixar Deus falar ao coração e seguir a sua voz.

A opção fundamental é uma autodeterminação que envolve a pessoa em sua totalidade, constituindo a identidade na qual vive o homem diante de Deus e também diante do mundo. É o apontamento, a direção que a pessoa da para a sua vida. Esta decisão está inclusa em todas as outras, pois estas devem coadunar para ela. A vida plena em Deus deve ser a opção fundamental do homem. Esta opção nunca é estática, está sujeita a um processo longo e contínuo, ligado às motivações de cada pessoa. Sem a conversão o homem fica preso às artimanhas do pecado e este nada mais é do que uma negação das possibilidades de viver uma opção fundamental oferecida por Deus. Caminhando em direção a Deus que é a Graça em si, o homem vai encontrando a sua realização plena e se tornando cada vez mais livre, pois a liberdade só tem sentido se estiver orientada para a Graça de Deus que é o Amor. Quanto mais fiel à opção fundamental, mais livre e cheio de Deus o homem é. Esta busca (conversão) é processual por que nunca o homem será pleno em si mesmo, somente se sua opção fundamental estiver ligada e dirigida para Deus. Trata-se de uma mudança sofrida, ruminada, por isso é processual. Nenhuma conversão verdadeira acontece da noite para o dia. Rubem Alves disse “Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses”. Enquanto o homem não chega à Graça, não se encontra pleno em Deus, precisa se converter.

Tentou-se aqui fazer uma breve ligação entre graça e conversão e apercebeu-se que esta relação entre ambas está no fato de que a conversão direciona para a opção basilar que a pessoa escolheu para a sua vida e esta opção é um caminho para Deus. A graça sendo manifestação plena de Deus que é o Amor deve ser a meta de todo o homem. Será sempre um passo de cada vez, cada momento deve ser vivido no seu tempo sem pular etapas. Conversão é viver de forma gradual a busca e o encontro com a graça de Deus e com a Graça que é o próprio Deus.

Seminarista José Ronei Costa

 

Referências

Haering B. Livres e Fieis em Cristo: Teologia Moral para sacerdotes e leigos, V. I, Paulinas, 1979, 204-207

<http://caritatis.com.br/2010/07/27/teologia-moral-parte-2/ Teologia Moral> Acesso em 14/10/17

<https://dicionariocriativo.com.br/citacoes/convers%C3%A3o/citacoes/convers%C3%A3o>. Acesso em: 16/03/2018.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *